Páginas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

MULHER, O TEU DEUS É O TEU LIMITE!

http://3.bp.blogspot.com/-cwlTrcuOviw/TkAT29Lqp9I/AAAAAAAAALc/yDpZXhp8M-k/s1600/manha+de+sol.jpg 

MULHER, O TEU DEUS É O TEU LIMITE!

I Sm 25.2-38
Por séculos a humanidade tem se debatido sobre o papel da mulher. No séc passado de uma forma mais intensa e, nas últimas décadas, de uma forma ainda mais agressiva.
Qual a razão? As barreiras culturais, os preconceitos, o pecado.
A igreja evangélica já viveu a tensão de definir quais os papéis da mulher em seu seio: pode ensinar homens ou apenas crianças? Pode liderar, pode pregar? Hoje, nós os batistas estamos no auge da crise em decidir se a mulher pode ser ordenada pastora.
Quando olhamos para a Bíblia – a revelação de Deus a nós -, tudo isso perde o sentido; pois já há milênios, descobrimos que quando uma mulher faz de Deus o centro de sua vida; quando ela teme a Deus; ela quebra todos os paradigmas do seu tempo, da sua cultura, sem causar estrago algum às estruturas e instituições estabelecidas, convencionais.
Nossa figura bíblica, hoje, que dá sustentação a essa afirmação é Abigail. VAMOS CONFERIR?
I – ELA QUEBROU O PARADÍGMA: CASAMENTO RUIM, VIDA EMOCIONAL E ESPIRITUAL RUINS! (VS 2,3; 17; 25)
-Segurança emocional: Ela tinha segurança interna, em sua identidade. Sua autoestima não foi afetada pelo fracasso no casamento
-Ela via os acontecimentos numa perspectiva divina: Ela não esquecera que Davi tinha salvo a nação das ameaças de Golias e dos filisteus. Ela não esquecera que Deus tinha rejeitado Saul e que o profeta Samuel tinha ungido Davi como o futuro rei de Israel (veja a visão de Nabal: v 10)
-Ela vivia na perspectiva do plano global de Deus, do seu agir soberano na história. I Co 10.31; Cl 3.17,23; Rm 14.7-8 eram uma realidade em sua vida. Sua vida não estava circunscrita ao seu casamento; mas ao agir soberano de Deus na história. O seu casamento não era o centro de sua vida, mas, sim, Deus.
Enquanto seu marido usa a linguagem “meu”, “minha” inúmeras vezes (v 11), ela usa do vers 24 ao 31: sete vezes a palavra “meu senhor” para se referir a Davi; cinco vezes a palavra “tua serva” para se referir a si mesma; e sete vezes a palavra “Senhor” para se referir ao agir soberano de Deus aquela situação.
II – ELA QUEBROU O PARADÍGMA: SUBMISSÃO AO MARIDO SIGNIFICA AUSÊNCIA DE LIDERANÇA FEMININA
Deus diz que a “mulher sábia edifica sua casa” (Pv 14.1). Quem acha que a mulher virtuosa de Pv 31.10 não era uma líder?
Mulher, Deus chamou você para liderar. John Maxwell diz que: A liderança é para todos! Deus estruturou toda sua criação à partir da liderança. Deus é o Líder Supremo. Ele chama cada cristão a liderar outros. Quando Ele fez o homem à sua imagem e semelhança, com certeza a liderança estava ali embutida.
O mesmo Maxwell diz: “Poucas pessoas podem ser consideradas líderes natos; mas todas possuem potencial para liderar. Podem aprender, desenvolver seu potencial. Os sociólogos dizem que até as pessoas introvertidas influenciarão uma média de 10000 pessoas durante sua vida”. Pense nisso!
Abigail dá prova da sua capacidade de liderança:
- Empreendeu uma iniciativa arriscada: deu o primeiro passo em direção a Davi para solucionar uma situação de conflito que colocava em risco sua casa, sua família, seu próprio marido, seu patrimônio;
- Capacidade de assumir a culpa: ela assumiu a culpa do marido e explicou a Davi a situação, o comportamento dele;
- Manteve o foco: foi diretamente a Davi e pediu para perdoar Nabal;
- Usou palavras de encorajamento: reafirmou a chamada divina a Davi;
- Foi sábia: combinou humildade e ousadia. Ela sabia como apelar a Davi a fim de atingir o seu alvo: submetendo-se a Davi e ao seu marido, ela sentiu-se segura para agir (fora dos padrões normais);
- Foi uma comunicadora exemplar: planejou como falar com Davi (falou com ele na presença de todos os seus homens). Com diplomacia e tato ela vence a fúria de Davi e seus homens; e com seu marido (não falou com ele durante a festa e nem com ele bêbado)
III – QUEBROU O PARADIGMA: FOI A PRIMEIRA MULHER A REPREENDER AO FUTURO REI DA NAÇÃO (a menor influencia o maior)
- No momento Davi comandava mais de 600 homens (v 13). Tanto no vers 28 como no 31 ela está, velada e indiretamente, recriminando a conduta impensada e precipitada de Davi. Ele era um homem sensível ao Espírito Santo de Deus; mas de falhas em seu caráter: tomava decisões precipitadas, tinha dificuldade em controlar seus sentimentos e se revelou fraco na disciplina dos seus filhos. Ela está a dizer: esse seu agir será um tropeço em sua futura vida de governante da nação. Será como um peso que você carregará para sempre em sua vida.
Mulher, você já parou para pensar na bênção que pode ser na vida do seu marido? Mesmo sendo submissa você pode liderá-lo. Abigail não escondeu os fatos. Independentemente da rudeza, do gênio intratável e das possíveis conseqüências desagradáveis, ela dá um relatório completo de suas ações ao marido. Isso é liderar sob liderança! Muitas vezes quando as coisas não vão bem no casamento, a esposa toma o caminho do silêncio, do agir irresponsável, sem prestação de contas; do confronto de liderança.
Conclusão
Mulher, eu sei que você vive o conflito da sua realização pessoal, que esbarra nos preconceitos, injustiças e paradigmas estabelecidos pelo pecado ao longo dos séculos. Se trabalha somente em casa, dizem que você “não trabalha”. Se trabalha fora, dizem que você abandonou o lar, a educação dos filhos. Se tem Carteira de Habilitação, dizem que comprou ou tirou por dar canseira no instrutor. Se tem sucesso profissional e é bonita, tá perdida (se vendeu). Se você for loira, não adianta nem tentar explicar seu sucesso – não vai conseguir! Se tem competência e realiza o mesmo trabalho do homem, vai ganhar bem menos. Se você se casou com um Nabal, aí, então, as coisas se complicam ainda mais.
Mas quando olhamos para a Bíblia – a revelação de Deus a nós -, tudo isso perde seu sentido; pois já há milênios, descobrimos que quando uma mulher faz de Deus o centro de sua vida; quando ela teme a Ele; ela quebra todos os paradigmas do seu tempo, da sua cultura, sem causar estrago algum às estruturas e instituições estabelecidas, convencionais.
Mulher, qual é o teu problema? Rebeca, Raquel e Ana venceram a esterilidade pela oração e fé em seu Deus, quebrando o paradigma: mulheres sem filhos são desprezadas pelos maridos e pela sociedade. A sunamita venceu o paradigma: mulheres sem filhos são infelizes. Ela era feliz mesmo não tendo filhos. Deus era sua felicidade!
Débora foi juíza, presidente da nação, comandante militar num mundo em que isse era um paradigma impossível de ser quebrado.
Ester foi rainha e salvou seu povo quebrando dois paradigmas: era estrangeira naquela nação e derrotou um primeiro ministro poderoso num quebra de braço político completamente desfavorável a ela.
Abigail tinha uma vida emocional saudável e uma vida espiritual abundante apesar de um casamento trágico.
Ela exerceu uma liderança forte e salvou sua família, mesmo debaixo da liderança do seu marido.
Numa situação de conflito, ela se revelou superior ao futuro rei de Israel, exercendo influência espiritual sobre ele. Finalmente, porque ela fez de Deus o centro da sua vida, Ele cuidou de resolver todos os seus problemas sem necessitar que transgredisse sua justiça, seus padrões.
Mulher, o teu Deus é o teu limite!

Pastor Genevaldo Qui, 17 de Março de 2011
http://www.pastorgenevaldo.com.br/index.php/mulheres/40-mulheres-2/128-mulher-o-teu-deus-e-o-teu-limite#yvComment128

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz. Comente.
Sua opinião é importante.
Obrigada.